s'inscrire / se connecter
A 3ª rede diplomática no mundo

A 3ª rede diplomática no mundo

A rede diplomática francesa é a 3ª no mundo, com 163 embaixadas a serviço das relações bilaterais e 16 representações permanentes junto às instâncias multilaterais (União Europeia, Nações Unidas, OCDE, UNESCO, OTAN).

Uma diplomacia a serviço das empresas

O Ministério francês das Relações Exteriores e do Desenvolvimento Internacional (MAEDI) e sua rede diplomática conduzem uma política ativa de apoio às empresas francesas nos mercados internacionais e de acompanhamento das empresas estrangeiras que desejam investir na França.

Além dos grandes contratos, as ações diplomáticas são reforçadas em direção às PME e a setores como o do agroalimentar, o da saúde ou o da indústria verde. Uma vontade ilustrada pela implementação do plano governamental de apoio à exportação, que visa assegurar uma melhor associação da oferta francesa com a demanda dos mercados promissores.

Uma diplomacia a serviço da inovação

O MAEDIcoloca sua rede de cooperação a serviço da P&D e da inovação das empresas internacionais. Por exemplo, a Embaixada da França nos Estados Unidos organiza anualmente, com o Georgia Tech, os encontros da inovação: a edição França-Atlanta 2013 reuniu 4.700 participantes. 

Os projetos de cooperação tecnológica se multiplicam. O programa COOLPOL, uma parceria franco-chinesa de P&D, ou o fundo de investimento franco-mexicano no setor da aeronáutica (de 250 milhões de dólares) testemunham isso.

Uma diplomacia a serviço da paz e do desenvolvimento sustentável

Em constante adaptação às realidades internacionais, a diplomacia francesa age a favor da paz e de umdesenvolvimento sustentáveleequilibrado no âmbito da globalização. Ela promove os direitos humanos,empenha-se pela paz e segurança, e atua a favor de um desenvolvimento econômico que respeite o meio ambiente.
Através dos 163 Serviços de Cooperação e de Ação Cultural (SCAC) e das 70 representações da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), a França é o 4º contribuinte de ajuda ao desenvolvimento em volume (cerca de 10 bilhões de euros por ano) e o segundo em porcentagem da receita nacional (RNB).

Por fim, ela é o segundo contribuinte ao Fundo mundial de luta contra a AIDS, a tuberculose e a malária.